29.1.09

Se prescindir de uma refeição, para além de comprometer a ingestão diária adequada de nutrientes, essencial para o equilíbrio do organismo, a única coisa que consegue é:

Comer mais na refeição seguinte (tratando-se do jantar, talvez não aguente até ao pequeno-almoço e se veja obrigado a atacar o frigorífico durante a noite).

 

Armazenar, sob a forma de gordura, tudo o que ingerir a seguir e abrandar o seu metabolismo, que, face à ausência de nutrientes para transformar em energia, se habitua a gastar menos combustível, diminuindo, assim, o consumo de calorias em repouso.

 

Por outro lado, julga-se que ao comer unicamente fruta ao jantar se está a tomar uma opção saudável. Um engano, uma vez mais. Um jantar só de fruta é uma refeição desequilibrada, que carece de proteínas, cálcio e ferro.

 

Para além disso, num cálculo aproximado, quatro peças de fruta representam nove a 10 colheres de sopa de açúcar, cerca de 800 calorias. Estamos a falar de cerca de metade das calorias que uma mulher de 60/65 kg deve ingerir diariamente para perder peso (1600 a 1800 kcal).

 

Ora, se lhes juntar as calorias das restantes refeições, o caminho mais provável será o aumento de peso em vez do seu decréscimo. Para um jantar equilibrado e dietético, deve optar por uma refeição completa e moderada em quantidade.

 

A nutricionista Magda Roma recomenda uma peça de fruta antes de jantar e peixe grelhado ou cozido com verduras, por exemplo. Porquê a fruta antes da refeição? «Os seus micronutrientes (vitaminas e minerais) são absorvidos em maior concentração, e a fibra que nos fornece contribui para saciar a fome, ajudando a moderar as quantidades ingeridas durante a refeição principal», explica.

 

 

 


Artigo retirado daqui

 

 

 

 


2.10.08

As também chamadas “amêndoas” estão sendo progressivamente valorizadas por agregar saúde à alimentação. Entre as mais conhecidas e consumidas no Brasil estão: castanha-do-pará, noz, amêndoa, castanha de caju e avelã.
Como o próprio nome revela, o fruto oleaginoso possui abundância de óleo, e, apesar de ser pequeno, suas características são bastante expressivas: é saudável, nutritivo... e um tanto calórico! Porém, os especialistas garantem que o consumo moderado não só é permitido, como indicado.

Na medida certa

Como acontece com todos os alimentos, a recomendação é que elas não sejam ingeridas em excesso. Por outro lado, deixando-as fora do cardápio, você abre mão de grandes parceiras na busca do peso ideal. Quando aliadas a uma dieta, as oleaginosas auxiliam no emagrecimento, já que são ricas em gorduras monoinsaturadas, responsáveis por equilibrar o nível de açúcar no sangue e ativar o metabolismo da queima de gorduras.

“O segredo está na quantidade. Comer três a quatro unidades de uma delas por dia é o suficiente para usufruir de todos os benefícios sem prejudicar o regime”, afirma a nutricionista Vivian Talarico.

Na hora de levá-las para casa, dê preferência as que vêm com a casca, pois é dessa forma que seus nutrientes são preservados. De acordo com a nutricionista Cláudia Cristina Szego, da Prime Nutrition, de São Paulo, outra dica é conservá-las na geladeira, evitando assim a oxidação.

Principais características

Em geral, as frutas oleaginosas apresentam as mesmas propriedades: combatem o envelhecimento celular, previnem diversas doenças e contêm um tipo de gordura saudável, a monoinsaturada, responsável por efeitos como a diminuição do LDL (colesterol ruim) e o aumento do HDL (colesterol bom)

NOZ: ótima fonte de energia; potássio; proteína vegetal e vitamina E, que tem ação antioxidante, além de proteger contra doenças do coração. Também é rica em ácido elágico, que pode inibir o crescimento de células cancerígenas

AMÊNDOA: fonte de proteína, fibras e ferro, além de conter mais cálcio que o leite

AVELÃ: rica em potássio, proteína, vitamina E, fibras e cobre

CASTANHA-DO-PARÁ: fornece selênio, mineral
antioxidante que atua no equilíbrio da tireóide e do magnésio. Contém ômega 3, gordura que previne doenças do coração

CASTANHA DE CAJU: possui proteínas, é rica em aminoácidos essenciais, aumenta os níveis de HDL (bom colesterol)

Segundo Vivian, a noz pecan é semelhante àquela que conhecemos, tanto na aparência (só tem a casca mais lisinha) quanto no sabor. “A principal diferença está no nome original: a pecan é chamada Carya illinoinesis e a noz tradicional, Juglans”, ensina.

Cuidado com as calorias!

Veja o valor energético por 100 gramas

Amêndoa 647 calorias
Avelã 725 calorias
Castanha-do-pará 683 calorias
Castanha de caju 505 calorias
Noz 698 calorias

 

Artigo retirado daqui


23.6.08

O primeiro video que vi foi este: http://www.youtube.com/watch?v=c7695-6D_5o

Mas meti aqui um mais pequeno sobre a mesma pessoa

Será que basta eliminar o gluten e emagrecemos naturalmente?

 

 

link do postPor buxi, às 17:36  Comentar

5.2.08
Vinagre combate o diabetes e emagrece

 

Pessoas com diabetes tipo 2, outras com propensão ao diabetes e um grupo de saudáveis fizeram o teste. Cada grupo consumiu vinagre ou placebo antes de um café da manhã rico em carboidratos e verificou-se que ingerir 1 colher de chá de vinagre com altas concentrações de ácido acético, antes de se alimentar, reduz as taxas de insulina e glicose, que se elevam sempre após a alimentação. Outro estudo, com um grupo de pessoas tomando vinagre antes das duas principais refeições do dia e outro grupo tratado com placebo, apresentou um surpreendente efeito colateral: em um mês, os tomadores de vinagre perderam de 4 a 7 quilos, enquanto o peso dos outros não se alterou.



RSS
Pesquisa de artigos :
 
Arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D