31.7.06

Alguém ouviu falar? Pois é, noutro dia fui a uma farmácia e estava a ler os produtos para emagrecer e reparei que um continha crómio, indicando que fazia reduzir o apetite. Não liguei muito, mas ficou-me na alembradura.


Andei eu nas pesquisas na internet a ver se achava alguma coisa, e encontrei um site de uma rapariga, que não me recordo o link, a qual dizia que tinha perdido cerca de 30 kilos e que o grande segredo dela tinha sido o chá de carqueja.


Fui pesquisar mais um pouco e descobri que o chá de carqueja tem crómio. Ora por estas leituras decidi comprar este chá. Vou agora a experiencias a ver o que dá...



23.7.06
Os beneficios de uma dieta com índice glicêmico baixo

É do conhecimento geral que ingerimos, no dia-a-dia, alimentos que nos fornecem carboidratos (açúcares, amido), proteínas (que irão prover amino ácidos) e gorduras (das quais as ácidos gordurosos insaturados são benéficos).
Apesar de que a maioria das pessoas consome 2 a 4 vezes mais carboidratos do que gordura ou proteínas, pouca gente se dá conta de que existem marcantes diferenças no tipo de carboidrato que estaríamos ingerindo.

Existem carboidratos que, rapidamente, são digeridos e absorvidos, elevando, em seguida, o nível de glicose, principal açúcar circulante no corpo humano.
Outros carboidratos são digeridos mais devagar, demoram a ser absorvidos e são transformados em glicose em menor proporção.

Qual a importância deste conhecimento?


É obvio que os carboidratos de rápida digestão e absorção seriam os grandes fornecedores de glicose para o corpo humano, a qual irá excitar as células do pâncreas a produzir INSULINA.
Este hormônio, muito conhecido dos médicos, e dos diabéticos, é essencial para o corpo humano utilizar a glicose.
Para darmos um exemplo: após ingestão de doces (sacarose) batata, pão branco e arroz branco o nível de glicose rapidamente sobe e, conseqüentemente, o pâncreas "joga" insulina na corrente sangüinea para restabelecer o equilíbrio e para que a glicose possa entrar dentro do músculo, dentro dos órgãos e sistemas, possa ser utilizada pelo tecido adiposo.
Portanto os estudiosos do metabolismo humano concluíram que os carboidratos facilmente transformáveis em glicose seriam aqueles que mais excitam o pâncreas a secretar insulina.

E daí? A insulina não é boa para o corpo?

Claro que a insulina é parte do metabolismo normal do corpo humano.
Mas às vezes o pâncreas, frente a alimentos contendo carboidratos rapidamente transformáveis em glicose, secreta um excesso de INSULINA e este fato é péssimo para o corpo.

Primeiro, porque "gasta" muita insulina que pode fazer falta mais adiante na vida.
Segundo porque o excesso de insulina dá muita FOME e pode ocorrer baixa acentuada do nível de glicose na nossa circulação (HIPOGLICEMIA).
Terceiro porque a insulina em excesso forma mais GORDURA a ser depositada no corpo (obesidade).

Existe algum jeito de comer carboidratos e não aumentar a insulina?

Achamos que sim. Para começar é preciso saber o que é índice glicemico.
Este índice nos indica, para cada tipo de alimento rico em carboidrato, qual o potencial de transformação em glicose, após ingerido, absorvido e metabolizado.
Quanto mais elevado o índice glicêmico de um alimento, maior a sua transformação em glicose, com excessiva secreção de insulina.
É óbvio que os alimentos de BAIXO INDICE GLICEMICO são aqueles que demoram a ser digeridos, absorvidos e propiciam menor carga de glicose na circulação.
Conseqüentemente são considerados como de menor potencial pra excitar a secreção de insulina.

O que é o índice glicêmico?

O índice glicêmico (IG) corresponde ao percentual de resposta glicêmica (curva glicêmica A) produzida pela ingestão de 50 g do alimento contendo carboidratos em comparação com a resposta (curva glicêmica B) obtida no mesmo indivíduo, após ingestão de 50 g de glicose.

As duas curvas obtidas qual seja a curva glicêmica A é comparada com a curva glicêmica B e expressa em percentual da mesma.

Dessa forma, os alimentos podem ser classificados em 3 categorias segundo o índice glicêmico obtido.

IG < ou = 55: baixo
IG maior que 56 e menor que 70: moderado
IG maior que 71: alto

O índice glicêmico de uma refeição é calculado a partir de IG de cada alimento composto de carboidratos ingerido ao mesmo tempo.
O IG estimado corresponde à soma dos IGs de cada carboidrato, refletindo sua proporção em relação à quantidade do total (Tabela 1).

Alguns exemplos ajudam a entender porque devemos dar preferência a alimentos de baixo índice glicêmico (Ver Tabela 1).

Vejam, por exemplo, que o pão branco, preparado com farinha refinada, possue índice glicêmico de 95 (quase igual ao da glicose pura).

Para comparação observe que o pão de trigo integral possue índice glicêmico de 41.

É óbvio que o pão branco irá excitar a formação de insulina em maior rapidez e quantidade do que o pão integral.

Por outro lado o pão branco (baguette, pão francês) é rapidamente absorvido enquanto que o pão integral é de absorção lenta.

Isto é importante porque o pão integral leva mais tempo para ser transformado em glicose.

A batata, cozida, frita, ou sob forma de purê, apresenta IG muito alto (85), transformando-se rápida e eficientemente em glicose.
É melhor, portanto, usar outros tubérculos (mandioquinha) ou grãos como ervilha e lentilha.


As frutas, em geral, têm índice glicemico geralmente baixo e têm outra vantagem.
As frutas fornecem FRUTOSE a qual não usa insulina e não excita o pâncreas a produzir insulina.
São, portanto, nossa aliadas no sentido de poupar a insulina.
EVITE todavia a banana e o abacate.

Está muito em moda a famosa Deita de Baixo Teor de Carboidratos.
Talvez devamos ter como norma a Dieta com índice glicêmico BAIXO, isto é, evitando alimentos com elevado potencial de se transformar em glicose.
Use a Tabela 1 como base deste tipo de dieta e, na dúvida, consulte o seu médico ou a nutricionista.

Tabela 1: Alguns exemplos de índice glicêmico (referência = glicose)

Cereais

Pão baguette ou pão francês (pão branco)
95
Cereais matinais sabor chocolate
84
Arroz branco
74
Bolacha tipo água e sal
72
Biscoitos com recheio
71
Macarrão tipo "grano duro"
59
Cereais matinais ricos em fibras
42
Pão tipo integral
41

Legumes e batata cozida


Batata cozida
85
Ervilha verde fresca
48
Lentilha verde
30

Frutas

Banana
52
Laranja
42
Maçã
38
Pêra
38

Laticínios

Iogurte
33
Leite integral
31
Iogurte desnatado com frutas e adoçante
14


Retirado do -> site

13.7.06

 

Para quem não sabe onde se encontra o aspartame, deixo aqui uma lista:

  • iogurtes light
  • bebidas light ou sem açucar ( inclusivé umas águas muito em voga...)
  • pastilhas sem açucar
  • alguns pacotes de batatas fritas
  • rebuçados sem açucar
  • algumas compotas light
  • Em suma, alguns alimentos ou bebidas que dizem light ou sem açucar

Para terem a certeza basta lerem os ingredientes, vem sempre lá referido a palavra "adoçante", "edulcorante" ou "aspartame".

 

 

 

 

link do postPor buxi, às 00:17  Comentar

4.7.06



Pois é, vou vos confessar. Tenho andando mesmo sem gula já há bastante tempo. Tenho chegado a conclusão de que só pode ser destas descobertas:


Vinagre e maçãs.


Tenho posto uma colher de café de vinagre de sidra num copo de água, ao pequeno almoço, almoço e jantar (tomo enquanto como). E também as belas maçãs com casca. Não sei se é do efeito da tão famosa pectina contida nela, mas só sei que não tive mais gula. Já perdi cerca de 4 kilos!!


Decidi ao mesmo tempo-já que a gula não me estava a atacar:P- fazer uma dieta em que comesse como acompanhamento de grelhados e cozidos, legumes diferentes para todas as refeições durante uma semana, e depois voltava a repetir. E não é que está a dar certo?!?Assim nunca chego aquele pensamento horrivel "hoje, amanha e pra sempre brócolos".


Aqui está o menu:


Quando meto tipo cenoura/beterraba, quer dizer que um é acompanhamento do almoço e o outro do jantar das respectivas proteinas da coluna a seguir.


O que eu fiz foi imprimir isto e andar sempre com ela no bolso!:)


 


dieta.JPG


De pequeno-almoço tenho comido flocos de aveia e as maçãs como uma de manhã, outra de tarde e a seguir ao jantar.


2.7.06

imagens de investigadores


O cacto que faz perder a fome!


Ao que parece, uma tribo sul africana , quando tinha de se ausentar para ir caçar, comia uma planta para que não precisasse de comer durante esse tempo, retilhando-lhes assim o apetite. Neste momento, alguns estudiosos, estão a tentar isolar a molecula milagrosa.


Deixo aqui o link do artigo em espanhol para verem o que se está a passar:


links


Vi à venda aqui numa ervanária ao pé da minha casa. Se nada der certo, vou experimentar isto...:P


RSS

Pesquisa de artigos :
 







livro gratis sugar blues em portugues

livro gratis sugar blues em portugues

livro gratis sugar blues em portugues




Arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Visitas